.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

História da Pomba Gira Sete Laços

NASCEU EM 1679 ONDE HOJE CONHECEMOS COMO O ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, POIS O MESMO AINDA NÃO EXISTIA OFICIALMENTE.
FILHA ÚNICA DE UM TROPEIRO VIÚVO, ACOMPANHAVA O PAI NA DIFÍCIL VIDA DE TROPEIRO. O PAI MUITO AMOROSO E DEDICADO, VIVIA PARA A FILHA E O QUE CONSEGUIA ECONOMIZAR, ERA GUARDADO PARA O FUTUTO DA MOÇA.
DALVA, MOÇA ALTA LOIRA, DE LONGOS CABELOS, CRIOU-SE LONGE DO COLO DA MÃE E DOS CONSELHOS FEMININOS. NÃO SABIA VALORIZAR SUA BELEZA, E TAMBÉM NÃO SE INTERESSAVA MUITO POR ISSO. GOSTAVA DOS CAVALOS, DOS LAÇOS, DAS ARMAS. ATIRAVA TÃO BEM OU MELHOR QUE QUALQUER TROPEIRO.
PREOCUPADO QUE ELA FICASSE SÓ NO MUNDO, APÓS A SUA MORTE, BUSCAVA ENCONTRAR UM BOM HOMEM PARA CASÁ-LA. FOI QUANDO CONHECEU JOSÉ IGNÁCIO, UM JOVEM APARENTEMENTE HONESTO E TRABALHADOR, QUE INTEGROU-SE AO GRUPO.
DALVA NUNCA SE INTERESSOU DE VERDADE PELO MOÇO, MESMO PORQUE NÃO INTERESSAVA-SE POR HOMEM NENHUM. MAS ESSE TAL JOSÉ IGNÁCIO, TINHA ALGO EM SEU OLHAR, UMA PONTA, UMA MANCHA, QUE ELA PERCEBIA, MAS OS DEMAIS MEMBROS DO GRUPO, GOSTAVAM DO RAPAZ, QUE ESTAVA SEMPRE SOLÍCIO E RESPEITOSO.
DEVIDO A ACEITAÇÃO DE TODOS E A INSISTENCIA DO PAI, ELA ACEITOU A CORTE DO RAPAZ, MAS NÃO PERMITIA QUE ELE A TOCASSE, SENTIA REPULSA, EMBORA A APARENCIA FÍSICA DO MOÇO FOSSE MUITO BOA.
CADA VEZ MAIS JOSÉ IGNÁCIO GANHAVA LIDERANÇA ENTRE OS VELHOS TROPEIROS E MAIS PRESSENTIMENTOS DALVA SENTIA. CERTA VEZ ABORDOU SUAS INTUIÇÕES COM SEU PAI, MAS HOMENS, EM SUA MAIORIA, NÃO ENTENDEM OU ACEITAM PREMONIÇÕES FEMININAS. “MEDOS DE MULHER” ELE DIZIA.
APÓS 1 ANO DE CONVÍVIO, AS PREOCUPAÇÕES DE DALVA, CONCRETIZAM-SE . NUMA NOITE DE FESTA E CANTORIAS, APÓS MUITO VINHO, JOSÉ IGNÁCIO ROUBA TODAS AS ECONOMIAS DE SEU VELHO PAI E DE OUTROS TROPEIROS QUE CONFIAVAM NO RAPAZ, COMO NUM FILHO.
SEU PAI, UM TANTO SONADO E EMBRIAGADO, SURPREENDE O RAPAZ, QUE AGRIDE O VELHO COM UMA CORONHADA E CONSEGUE FUGIR. APÓS RECOBRAR-SE DO DESMAIO, O VELHO GRITA POR SOCORRO E DALVA ACORDA.
APÓS SOCORRER O PAI E VER CONFIRMADA SUAS INTUIÇÕES, DALVA TOMA SEU CAVALO E SAI EM DISPARADA, SEGUINDO O RASTRO DE JOSÉ IGNÁCIO. ENCONTRA-O COM FACILIDADE, POIS CONHECIA TODOS OS CAMINHOS COMO A PALMA DAS MÃOS.
JOSÉ IGNACIO, QUANDO A PERCEBE, IMEDIATAMENTE ATIRA EM SUA DIREÇÃO, O TIRO NÃO ACERTA A MOÇA, QUE O ATINGE NO OMBRO. APÓS ATINGÍ-LO, DALVA O AMARRA SETE VEZES E O ARRASTA DE VOLTA AO ACAMPAMENTO COM TODOS OS PERTENCES ROUBADOS.
SEU PAI FALECEU EM DOIS ANOS E DALVA, JÁ NÃO VIA SENTIDO EM CONTINUAR AQUELE TIPO DE VIDA E TINHA AS ECONOMIAS QUE O PAI HAVIA DEIXADO.
ARRANJOU TRABALHO NUMA FAZENDA DE CONCONHECIDOS E TEVE ALGUNS RELACIONAMENTOS AMOROSOS. APRENDEU A SER MULHER, APRENDEU A SEDUZIR, MAS JAMAIS PERMITIU QUE HOMEM ALGUM, POR MELHOR INTENÇÃO DEMONSTRASSE, A ENGANASSE.
DALVA HOJE É A POMBA GIRA SETE LAÇOS, QUE CONTINUA NO ALTRAL, A LAÇAR E PRENDER TODOS OS HOMENS QUE MERECEM E A AJUDAR TODAS AS MULHERES QUE RECORREM A ELA.

Fonte: amarracaoamorosa.blogspot.com
Sou uma rosa, sou um perfume, sou a mais bela de qualquer jardim, ouço lamentos, ouço queixumes, não há mulher que não venha até mim. Sei seduzir, me deixo seguir, a palavra dificil para mim não existe, de preto e vermelho, ou sem me vestir, homem algum a mim me resiste. Bebo champanhe, fumo cigarro, digo mil coisas sem nunca falar, sei ler na mão, jogo o baralho, a mim só me engana quem eu deixar. Se alguém precise e me queira encontrar, siga o perfume em noite de luar, diga meu nome sem se enganar, sou Pombagira, a rua é meu lar. Autor: Paulo Lourenço

POMBAGIRA SETE SAIAS DO CABARÉ

POMBAGIRA SETE SAIAS DO CABARÉ
SALVE SETE SAIAS DO CABARÉ!
DONA SETE SAIAS, É MOJUBÁ!