.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

O QUE É UM ORIXÁ DE CABEÇA?

Na visão Umbandista

O mesmo que Orixá de Frente. No Brasil, costuma-se dar uma pessoa a dois Orixás, normalmente formando casais, sem ser, com isso, regra. Em certos cultos, adotam-se três Orixás, os demais seriam conhecidos como “passagens”, exercendo menor influência. O Orixá de Cabeça corresponde à energia básica, fundamental, de um indivíduo, dando-lhe características mais marcantes em sua personalidade.

O segundo é o Ajuntó, de características mais sutis, muitas vezes amenizando o carácter do Orixá de Cabeça, que poderá ter o caráter arrebatado por ser jovem e guerreiro. O terceiro seria o Orixá de Herança, que acompanha a família por algumas gerações. No Candomblé o primeiro é o Orixá Pai-de-cabeça, o segundo Orixá de Frente e o terceiro de ação.
O Orixá Pai-de-cabeça é visto por um Pai ou Mãe-de-Santo, mas comumente confirmado através do jogo de Obí ou Búzios.

Pai Ronald
http://floresemcasa.blogspot.com

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Oferenda para Pomba Gira Maria Padilha

Como se fazer um trabalho da Pomba Gira Maria Padilha (oferenda, agrado, obrigação, ebó, adimu) "não serve pra Amarração". 

Oferenda (padê) à  Maria Padilha para Abertura de Caminhos

Faça um padê com
300g de farinha de mandioca
100g de Camarão seco
1 cebola ralada
azeite-de-dendê.
Rodelas de cebola, rodelas de tomate.
1 bife passado no azeite-de-dendê,
7 cigarros longos ou cigarrilhas.
7 velas vermelhas
7 azeitonas pretas,
7 rosas vermelhas
1  Garrafa de champagne

Com o se fazer:

Doure a cebola no azeite de dende, acrescente a farinha e as azeitonas.
Coloque o farofa no alguidar e vá arrumando tudo (enfeitando da melhor maneira) em cima do padê, acenda as velas na frente do trabalho, abra a champagne , faça a oração e pronuncie em voz alta ou mentalmente seus pedidos à Pomba Gira Maria Padilha.
Fazer o pedido e colocar tudo na encruzilhada, aberta ou em forma de T.
Não passe das 23:00h

ORAÇÃO PARA MARIA PADILHA

Salve nossa Rainha da noite,
Salve nossa tão gloriosa Maria Padilha.
São 12 horas em ponto e o sino já bateu.
Sei que nesta hora, pela força do vento a poeira vai subir, e com ela também subirá todo o mal que estiver no meu corpo, no meu caminho e na minha casa. Tudo se afastará da minha vida.
É com a força e Axé de Maria Padilha que meus caminhos, a partir deste momento em que os ponteiros se separam, estarão livres de todos os males materiais e espirituais, pois a luz que clareia o caminho de Maria Padilha também há-de clarear s meus caminhos, para isto estarei sempre de posse desta oração.

http://www.dihitt.com.br/n/religiao/2011/02/22/trabalho--oferenda--comida--presente-a-pomba-gira-maria-padilha

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

O USO MÁGICO DO SAL GROSSO

Há muito que se discute sobre a questão do uso do sal grosso para as funções de descarrego!
Não vamos aqui enumerar uma série de motivos para que se faça isso ou não se faça, até mesmo porque, já existe farta documentação a respeito e, principalmente, porque esse tipo de ação vai depender muito mais da doutrina em que se está inserido do que propriamente qualquer coisa que se possa dizer como sendo falso ou verdadeiro.

Podemos comparar o uso do sal grosso com funções de descarrego espiritual ao tratamento químico que se dá ao câncer.
Sabemos que o câncer, em poucas palavras leigas, é o resultado patológico de células crescendo desordenadamente levando inclusive ao óbito.

O remédio contra essa doença atua nessas células doentes destruindo-as, entretanto, as demais células, ainda que saudáveis, têm as mesmas características orgânicas das células doentes e assim, o remédio também as destrói.
Chama-se a isso de reações adversas.

Podemos associar um fato ao outro dizendo que o mal espiritual que nos aflige é como a célula cancerosa, uma energia como outra qualquer com que lidamos no dia a dia, porém descontrolada, ou mesmo, negativamente dirigida, mas semelhante em suas estrutura as demais que componham nosso ser naquele instante.

Quando usamos o sal grosso ele atua de forma eficaz contra toda e qualquer energia, mas, principalmente, contra as deletérias, destruindo miasmas e negatividades, mas, da mesma forma que o remédio contra o câncer atua, provoca reações adversas em nosso organismo espiritual.

Por isso, é comum orientar-se para que o uso do sal grosso não se dê sobre a cabeça, ou Ori, sede de nossa espiritualidade mais avançada a fim de que não se produza reações mais adversas do que as que possamos suportar.

Como disse antes, em função de visões doutrinárias diferentes, não será incomum que muitos discordem desta tese, dando inclusive como exemplo a água do mar, posto que a mesma, absolutamente salgada, é um dos melhores banhos de descarrego que se possa conhecer.

A isso podemos retrucar que a religião é profundamente simbólica e o que se vê num determinado ponto da escala da criação não é exatamente o que se pode inferir de suas germinações ou conclusões futuras.

Da mesma forma que o Obi é a fruta que alimenta o Ori no ritual do Bori, sendo ele o fruto de uma determinada árvore, somente ele é utilizado no ritual e não as cascas da árvore, ou mesmo, serão as folhas da geratriz que farão parte do ritual, apenas o fruto.
Será que na árvore, mãe e produtora, não haverá qualquer parte intrínseca do Obi, da mesma forma, que na água do mar existe o sal?

Exato! Na água do mar existe o sal, mas ali é a água do mar o símbolo do banho e não mais o sal puro, o grosso, ou mesmo, como alguns admitem, o refinado, da mesma forma, que não se usa qualquer parte da árvore geratriz do Obi, mas, usa-se sobejamente a sua fruta.
http://wwwumbandaonline.blogspot.com/search/label/SAL%20GROSSO

domingo, 20 de novembro de 2011

Guardiã por Rubens Saraceni


Na Umbanda, a entidade espiritual que se manifesta incorporada em suas médiuns está fundamentada num arquétipo desenvolvido à partir da entidade Bombogira, originária do culto Angola.
Nos cultos tradicionais oriundos da Nigéria não havia a entidade Pombagira ou um Orixá que a fundamentasse.

História do cigano Pablo

Vivi nesta terra a muito e muito tempo atrás.
Quando vivo, chefiava uma tribo de ciganos que na maior parte do tempo acampava pelas terras de Andaluza, como em minha tribo as tradições eram passadas de geração para geração e de pai para filho, herdei a chefia da tribo ainda jovem de meu pai.
Aprendi tudo que era necessário aprender com os antigos da tribo, que para nós ciganos, são as pessoas mais sábias sobre a face da terra.

Poesia: Lenda de uma cigana



A lenda de uma cigana
Adormecida ao relento
Que perdeu a caravana
Por seguir o pensamento
Tem dias que anda pairando
Nos rumos do mundo
Tem dias que anda rolando
Nas presas do tempo
Diz a lenda que a cigana
Pelo caminho onde viera
O xale tinha perdido
E um vagabundo o trouxera
Sacudindo o pó e as mágoas
Como se a cor acordasse
Num abraço dançou com ela
Antes que o vento a roubasse
Só o vento nos roda a saia
Só o vento nos faz dançar
Nos confunde os passos na areia
Muda o rumo às águas do mar
No silêncio mal se ouviam
Dançar descalços na areia
Numa noite quase fria
Estava a lua quase cheia
E pra rasgarem o escuro
Ou fugir à solidão
Ataram corpos cansados
Na sombra vaga do chão
Quando o sol entorna o dia
Ficara o xaile esquecido
E os passos da cigana
Já o vento tinha escondido
Ficou só o vagabundo
Resgatando uma ilusão
Com a alma amordaçada
Na palma da mão
Só o vento nos roda a saia
Só o vento nos faz dançar
Nos confunde os passos na areia
Muda o rumo às águas do mar.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

SABÃO DA COSTA

Por volta do início do século XVI (1501), navegadores ibéros, senhores dos 7 mares, passaram a designar toda a Costa Atlântica AFRICANA e seu interior imediato como COSTA e o que dali procedesse como DA COSTA.

Segundo relatos da época, de Cronistas e Viajantes portugueses, o SABÃO DA COSTA
era importado pelo Brasil desde pouco depois de 1620.

Era o preferido dos escravos e libertos. Ele era oriundo de uma área entre GANA e CAMARÕES, e principalmente da NIGÉRIA, da República do BENIM e do TOGO.

Há praticamente 400 anos, garantem relatos de Cronistas e Viajantes da época, o Brasil importava um SABÃO DA COSTA da África que era usado por escravos e libertos.

Por que SABÃO DA COSTA ?

Porque é antigo. A palavra SABONETE é incorporada ao português somente na virada para o século 19 quando no Brasil “tudo” era "francês" e o "SAVONETE" dos franceses é aportuguesado. Antes disso era SABÃO mesmo.

Mesmo os franceses continuam dizendo SAVON, os espanhóis dizem JABÓN (RABÓN) e os ingleses SOAP (SÔLP) e portanto não deveria haver esse tipo de 'distinção'.

O SABÃO DA COSTA mantém o nome SABÃO por uma questão de tradição.

O SABÃO DA COSTA é um sabão sólido, de cor parda-escura tendendo a preta,
feito com ervas medicinais ( nó de pinho, óleo de côco, benjoin, juá, etc) e além de ser usado prá descarrego promove uma profunda limpeza corporal sempre que usado normalmente durante o banho, combate a caspa, cravos, espinhas, manchas escuras, coceiras e fungos do couro cabeludo além de controlar o mau cheiro produzido pelo suor.

Oxé dudu era o nome dado pelos africanos ao sabão da costa.

(mas é preciso muito cuidado ao adiquirir,pois muitos são feitos de maneira desconhecida,procure sempre um de confiança)

sábado, 1 de outubro de 2011

USO CERIMONIAL DA FACA E DO PUNHAL NA UMBANDA

Qual será a maior demanda de um Ser humano?


Acaso alguém já se perguntou o quanto de energia vital se consome no ato de nascer?

Pois bem, viver neste mundo não é fácil. Enfrentamos obstáculos desde o momento de ser concebido no óvulo materno e provocamos a “dor” no ato de vir à Luz.

sábado, 17 de setembro de 2011

LUTAS E DEMANDAS


Qual será a maior demanda de um Ser humano?

Acaso alguém já se perguntou o quanto de energia vital se consome no ato de nascer?
Pois bem, viver neste mundo não é fácil. Enfrentamos obstáculos desde o momento de ser concebido no óvulo materno e provocamos a “dor” no ato de vir à Luz.


Lutamos para nos adaptar a nova realidade, experimentamos o ar, o solo e as cólicas.
Com o tempo começamos a caminhar e com isso,

terça-feira, 6 de setembro de 2011

FOTO IMAGEM CIGANA CLARA

PATUÁ, O QUE É?

Nada mais é do que um amuleto ou talismã, um objeto magnetizado. O amuleto serve para afastar energias negativas, alguns exemplos são: medalhas, figuras, imagens, sementes, inscrições e objetos variados. O patuá serve para atrair bons fluídos.



No Candomblé, o amuleto é feito de um pequeno pedaço de tecido na cor correspondente ao Orixá, ao qual é bordado o nome do Orixá e colocado um determinado preparo de ervas e outras substâncias atribuídas a cada Orixá. A pessoa utiliza o Patuá especifico do seu Orixá no bolso da sua vestimenta, dentro de carteiras de cédulas, bolsas para obter proteção e sorte do seu Orixá. No Culto aos Egungun esse amuleto é chamado de Breve.

O grupo étnico Mandinga de origem africana, carregava no peito um cordão com um pedaço de couro com inscrições de trechos do alcorão, eles eram muçulmanos, os negros de outras etnias denominavam esse objeto de patuá.

http://floresemcasa.blogspot.com

FOTO/IMAGEM MARIA PADILHA DOS 7 CRUZEIROS DA CALUNGA

Gira Maria Padilha dos 7 Cruzeiros da Calunga...

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

UMBANDA E KIMBANDA

O que é Umbanda?
Surgiu em 1908, no Brasil. A grosso modo, seria um mix de várias religiões do culto angola-congo (misturado com o nagô), Espiritismo, esoterismo, pajelança e até mesmo budismo. Umbanda quer dizer “Arte de Curar” ou “Magia”. Segundo a definição de seu fundador, o Caboclo das 7 Encruzilhadas, Umbanda é a manifestação do Espírito para a caridade.

O que é Quimbanda?

OS ELEMENTOS MÁGICOS NA UMBANDA

Mágico = movimentação de energias
Magístico = ativação de processos mágicos

Quantos médiuns não desconhecem o próprio significado das velas coloridas que acendem aos seus orixás?

Quantos não desconhecem o porquê da queima de pólvora ou dos banhos de ervas ou de sal grosso?

O QUE É O RITUAL DO AMACI?

Também conhecido como lavagem de cabeça, o amací está para a Umbanda assim como o batismo está para a Igreja, é comum comparar o batizado ao 1º amaci. O ritual é um banho de ervas que se faz no médium iniciante na Umbanda, sendo despejado sobre a cabeça do médium. Este banho de cabeça é preparado com as ervas específicas do Orixá de cabeça do iniciado, tem a finalidade de limpar o campo astral e preparar o médium para entrar na corrente mediúnica.

PARA O REVEILLON DE 2012


Simpatias, ebós, oferendas para a passagem do ano. Podem ser feitos do dia 26  até 31 de dezembro de 2011

AMOR

compre 6 rosas vermelhas. 6 maçãs e 6 cigarros e 1 vela branca e leve até a areia da praia pedindo a Pomba Gira da Praia que traga um bom amor para você  em 2012.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

EXISTE FEITIÇO?

Sim, existe, mas é preciso evitar confusões geralmente propagadas por leigos. Existem tanto feitiços para o bem quanto para prática do mal. O feitiço maligno nada mais é que Magia Negra, com a fins de prejudicar alguém. Os feitiços são perfeitamente lógicos, dentro do ponto de vista magnético.


Pode-se evitar ser alvo de Magia Negra?

MARIA NAVALHA

Também tenho ela como pomba gira e tenho algumas histórias, uma delas é...
Alguns diziam que ela era mulher de vida fácil, porém ela sempre trabalhou muito para sustentar seu irmão doente mental. Trabalhou no cais, nos mais diversos bares, botecos e Bin bocas que já

O USO RITUAL E MAGICO DAS ERVAS

Sem erva não tem Axé. Se a mata possui uma alma além do mistério esta é a folha, que a mantém viva pela respiração, que a caracteriza pela cor e aparência, que sombreia seu solo permitindo, através do frescor, a propensão à semeadura.

AMALÁ E OFERENDAS E AXÉ

O quê é um Amalá?

Na Umbanda trabalha-se com os quatro elementos da Natureza: água, fogo, terra e ar, como matéria-prima básica de tudo que existe. Estes elementos, manejados de acordo pelas entidades, promovem o equilíbrio, o descarrego, a harmonia. Na Umbanda, em respeito a Natureza, nada pode ser retirado sem uma restituição ao elemento básico.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

O QUE PEDIR A CADA ORIXÁ

OXALÁ
– oferenda-se Oxalá quando necessitamos fortalecer ou despertar em nosso íntimo os sentimentos de fé, paciência, tolerância, perdão, compaixão. Quando precisamos despertar a esperança e a confiança.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

SEO ZÉ PILINTRA

Sou guia, sou corrente, egrégora e proteção.

Sou chapéu, sou terno, gravata e anel.

Sou sertão, sertanejo, carioca, paulista, alagoano e Brasileiro.

Sou Mestre, Malandro, Baiano, Catimbozeiro, Exu e Povo de Rua.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

FUNDAMENTOS DOS RITUAIS DA UMBANDA

Para tentar explicar como se dá a comunicação entre os planos espiritual e material, grosseiramente, podemos imaginar essa comunicação através de freqüências.

Sou uma rosa, sou um perfume, sou a mais bela de qualquer jardim, ouço lamentos, ouço queixumes, não há mulher que não venha até mim. Sei seduzir, me deixo seguir, a palavra dificil para mim não existe, de preto e vermelho, ou sem me vestir, homem algum a mim me resiste. Bebo champanhe, fumo cigarro, digo mil coisas sem nunca falar, sei ler na mão, jogo o baralho, a mim só me engana quem eu deixar. Se alguém precise e me queira encontrar, siga o perfume em noite de luar, diga meu nome sem se enganar, sou Pombagira, a rua é meu lar. Autor: Paulo Lourenço

POMBAGIRA SETE SAIAS DO CABARÉ

POMBAGIRA SETE SAIAS DO CABARÉ
SALVE SETE SAIAS DO CABARÉ!
DONA SETE SAIAS, É MOJUBÁ!