.

sábado, 1 de maio de 2010

Ebós e oferendas para Iansã

A PODEROSA IANSÃ
NÃO SEJA LOUCO DE MEXER COM SEUS FILHOS!!!
ELA É A SENHORA DOS EGUNS, A DEUSA DO CEMITÉRIO!!!
MAS É A MAIS BELA GUERREIRA QUE JÁ EXISTIU!

Deusa da espada do fogo, dona da paixão, da provocação e do ciúme. Paixão violenta, que corrói, que cria sentimentos de loucura, que cria o desejo de possuir, o desejo sexual. É a volúpia, o clímax. Ela é o desejo incontido, o sentimento mais forte que a razão. A frase estou apaixonado, tem a presença e a regência de Iansã, que é o orixá que faz nossos corações baterem com mais força e cria em nossas mentes os sentimentos mais profundos, abusados, ousados e desesperados. É o ciúme doentio, o fascínio enlouquecido. É a paixão propriamente dita. É a falta de medo das conseqüências de um ato impensado no campo amoroso. Iansã rege o amor forte, violento.

Iansã é aquela que retorna a terra: É a Deusa dos mortos. É Ligada diretamente ao culto de Egun, por isso é a senhora dos cemitérios. Tem pleno domínio sobre os mortos, trazendo consigo uma falange de Egun que ela controla, pois todos temem seu poder. O culto a Egun nasceu nas mãos de igbalé quando ela fora buscar uma substancia que permitia a Xangô soltar fogo pelas narinas. Oyá ficou sabendo que o povo Tapa iria invadir a cidade de Baribas, então forrou na beira de um rio um pedaço de pano vermelho, colocou algumas cabaças, evocou os mortos e aquele pano tomou vida e saiu voando na direção dos inimigos, colocando-os para correrem apavorados


Flores

EBÓS E OFERENDAS PARA IANSÃ

Cozinha ritualística

Ipetê
Cozinhe inhames descascados em água pura sem sal. Frite, a seguir, os inhames cozidos e cortados em rodelas no azeite de dendê e separe. No próprio azeite que usou para a fritura, coloque o camarão seco descascado e picado e salsa, de modo a fazer um "molho". Coloque os inhames fritos num prato e regue-os com esse "molho".

Acarajé
Na véspera, ponha o feijão fradinho de molho. No dia seguinte, ele estará bem inchado. Descasque o feijão - grão por grão - retirando o olho preto, e passe na chapa mais fina da máquina de moer carne. Bata bastante para que a massa fique leve, isto é, até arrebentarem bolhas. Tempere com sal e a cebola ralada. Ponha uma frigideira no fogo com azeite de dendê e aí frite os acarajés às colheradas (com uma colher das de sopa), formando, assim, os bolinhos. Depois de fritos, reserve-os e prepare o molho: soque juntos a cebola, os camarões secos, as pimentas e o dente de alho. Depois de tudo bem socado e triturado, refogue em uma xícara de azeite de dendê. Sirva os acarajés abertos com o molho, tudo bem quente.

Bobó de inhame
Cozinhe os inhames com a casca e deixe-os escorrer para que fiquem bem enxutos. Amasse-os. Ponha o azeite de dendê numa panela, junte os camarões secos, a cebola, o alho, o gengibre, a pimenta e uma colherinha de sal. Refogue bem. Acrescente os camarões frescos, inteiros, e refogue mais um pouco. Junte o inhame amassado como um purê pouco a pouco, às colheradas, mexendo sempre. Cozinhe até endurecer


Acarajés para Iansã
Ingredientes:
- 500g. de feijão fradinho
- 500g. de cebola
- 01 litro de azeite de dendê Modo de preparo: Num processador (pode ser num pilão) triture o feijão fradinho, deixe de molho por meia hora e após descasque os feijões coloque o feijão no processador e vá adicionando a cebola cortada em pedaços. Bata até formar uma massa firme. Despeje numa tigela e bata a massa com uma colher de pau até formar bolhas, coloque sal a gosto.
Numa frigideira coloque o dendê e deixe esquentar bem, com a colher vá formando os bolinhos e fritando até dourar. Coloque-os num alguidar.


Flores



Ebó de Iansã para sorte e prosperidade
1 vasilha de barro
1 cebola branca
1kg de farinha de mandioca crua
1 copo de azeite de dendê
200 gr de camarão seco
1 pitada de sal
9 moedas de cobre ( lavas e secas )
9 rosas amarelas sem o cabo
9 quiabos com a ponta bem retinha
9 ramos de louro verde
9 velas laranja ou uma vela de sete dias se fizer o ebó em casa ou terreiro.


Modo de preparo:

Frite a cebola bem ralada no azeite de dendê, acrescente o camarão e a farinha, mexendo bem, coloque o sal, misturando bem até que fique bem homogenizado, deixe esfriar e coloque na vasilha, coloque os ramos de louro espetados na borda da vasilha, intercalando com os quiabos com as pontas para fora e as rosas, faça um cículo no centro com as moedas, passe o alguidar simbolicamente de baixo para cima em seu corpo, pedindo Iansã que erga sua vida, trazendo triunfos em suas batalhas, sorte, abertura de caminho e sucesso. Acenda a vela saudando Iansã 9 vezes, fazendo seus pedidos e orações.


Flores

Oferenda para Iansã
Material:
9 maças vermelhas
1 manga rosa
9 rosas alaranjadas
9 moedas de cobre ( cor de cobre, lavadas e secas )
9 ramos de louro verde
9 velas laranja ou 1 vela de sete dias laranja
1 vasilha branca de porcelana ou um prato de barro.

Modo de preparo:
Lave as frutas e seque bem. Passe as frutas simbolicamente pelo corpo, de baixo para cima pedindo a Iansã que abra seus caminhos, cortando pragas e maldições, afastando eguns e obsessores, coloque as frutas no prato, passe os ramos de louro e peça a Iansã que afaste o olho gordo, quebranto, inveja e traga sorte e prosperidade,coloque os entre as frutas, passe as rosas sem os espinhos e enfeite a seu gosto, por último passe as moedas pedindo prosperidade, riqueza, triunfos e espete uma em cada maça, acenda a vela saudando Iansã fazendo seus pedidos e orações.
Ao fazer o ebó em casa acenda a vela de sete dias,após despache em um jardim, fazendo na natureza acenda as velas comuns


Flores

Ebó Para Iansã - Oyá Onirá
Material Necessário:
1 Abóbora moranga, 4 Búzios abertos, 4 Noz moscada, 4 Moedas, 4 Acarajés, 4 Metros de fitas vermelha / Branca, 1 Saco de pano.
Modo de Fazer: Fazer um buraco na abóbora, colocar o resto das coisas, depois de passadas no corpo. Tapar a abóbora, amarrar com fitas. Entregar a OYÁ ONIRA no alto de um morro, às 18:00 ou 24:00 horas, acender e pedir tudo de bom.

Flores
Ervas de Iansã

Alface
Altéia – Malvarisco
Angico-da-folha-miúda – Cambuí
Bambu
Cambuí amarelo
Catinga-de-mulata – Cordão-de-Frade – Cordão-de-São-Francisco
Cordão-de-Frade verdadeiro
Cravo-da Índia – Cravo-de- Doce
Dormideira sensitiva
Espirradeira – Flor-de-São-José
Eucalipto-limão
Flamboiant
Gengibre-zingiber
Gitó-carrapeta – bilreiro
Hortelã-da-horta – Hortelã-verde
Inhame
Jenipapo
Lírio do Brejo
Louro – Loureiro
Mãe-boa
Manjericão-roxo
Maravilha bonina
Sou uma rosa, sou um perfume, sou a mais bela de qualquer jardim, ouço lamentos, ouço queixumes, não há mulher que não venha até mim. Sei seduzir, me deixo seguir, a palavra dificil para mim não existe, de preto e vermelho, ou sem me vestir, homem algum a mim me resiste. Bebo champanhe, fumo cigarro, digo mil coisas sem nunca falar, sei ler na mão, jogo o baralho, a mim só me engana quem eu deixar. Se alguém precise e me queira encontrar, siga o perfume em noite de luar, diga meu nome sem se enganar, sou Pombagira, a rua é meu lar. Autor: Paulo Lourenço

POMBAGIRA SETE SAIAS DO CABARÉ

POMBAGIRA SETE SAIAS DO CABARÉ
SALVE SETE SAIAS DO CABARÉ!
DONA SETE SAIAS, É MOJUBÁ!