.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

História da Pomba Gira Maria da Encruzilhada

FONTE:
http://pombagirasetesaiasdocabare.blogspot.com/

Seu nome de batismo era Efigênia.
Sua lenda diz que ela viveu com pais muito severos, em especial, sua mãe, que não gostava dela, por ser filha adotiva de seu pai com outra mulher.
Ao completar 18 anos foi expulsa de casa pela madrasta.
Vagou como mendiga.
Numa noite muito fria, quando estava severamente doente, foi resgatada por um grupo de pessoas que cuidava de mendigos e os alojava em abrigos.
Após receber os cuidados necessários, foi visitada por um médico de nome Elias, qua apaixonou-se imediatamente pela jovem.
Conheceu sua história e a convidou para trabalhar como sua assistente.
Três meses depois estavam casados.
Efigênia trabalhou nas ruas, resgatando muitas pessoas e ajudando-as a reencontrarem um rumo para suas vidas.
Oferendas:
3 velas vermelhas
4 velas brancas
1 rosa vermelha
1 copo de água ou água de coco
3 cigarros
Entrega: encruzilhadas nas ruas que tenham igreja.
FONTE http://pombagirasetesaiasdocabare.blogspot.com/
Sou uma rosa, sou um perfume, sou a mais bela de qualquer jardim, ouço lamentos, ouço queixumes, não há mulher que não venha até mim. Sei seduzir, me deixo seguir, a palavra dificil para mim não existe, de preto e vermelho, ou sem me vestir, homem algum a mim me resiste. Bebo champanhe, fumo cigarro, digo mil coisas sem nunca falar, sei ler na mão, jogo o baralho, a mim só me engana quem eu deixar. Se alguém precise e me queira encontrar, siga o perfume em noite de luar, diga meu nome sem se enganar, sou Pombagira, a rua é meu lar. Autor: Paulo Lourenço

POMBAGIRA SETE SAIAS DO CABARÉ

POMBAGIRA SETE SAIAS DO CABARÉ
SALVE SETE SAIAS DO CABARÉ!
DONA SETE SAIAS, É MOJUBÁ!