.

sábado, 4 de setembro de 2010

Maria Padilha do Cabaré, abaixo uma de suas muitas histórias.

Senhora rica e poderosa, dona de um cabaré muito famoso,onde se fez tornar uma mulher marcante na sociedade da época.
Amou sim, uma vez só e por ter sofrido por um grande amor resolveu não se entregar nunca mais a ninguém. Foi uma mulher bem sucedida e se tornou rica, muito rica... Ela tinha um dom que lhe acompanhava desde menina o dom das cartas o misterioso Futuro no qual ela o adivinhava,este dom vem dos seus antepassados pois ela vem de uma família Espanhola...

Usa trajes vermelho com detalhes preto, gosta também de mantilhas e um rosa no cabelo, que por vezes, usa preso.
Maria Padilha do Cabaré, resolve e cumpre tudio o que promete, leve o tempo que for necessário.
Sou uma rosa, sou um perfume, sou a mais bela de qualquer jardim, ouço lamentos, ouço queixumes, não há mulher que não venha até mim. Sei seduzir, me deixo seguir, a palavra dificil para mim não existe, de preto e vermelho, ou sem me vestir, homem algum a mim me resiste. Bebo champanhe, fumo cigarro, digo mil coisas sem nunca falar, sei ler na mão, jogo o baralho, a mim só me engana quem eu deixar. Se alguém precise e me queira encontrar, siga o perfume em noite de luar, diga meu nome sem se enganar, sou Pombagira, a rua é meu lar. Autor: Paulo Lourenço

POMBAGIRA SETE SAIAS DO CABARÉ

POMBAGIRA SETE SAIAS DO CABARÉ
SALVE SETE SAIAS DO CABARÉ!
DONA SETE SAIAS, É MOJUBÁ!