.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Eslarecimento de Pomba Gira

Naquela noite, era Sessão de consulta com Exus e Pomba Giras. O terreiro estava lotado, pois os Guardiões como acreditam por aí, “fazem” e “acontecem”... Na verdade, eles são confundidos com os quiumbas, ou seja, espíritos enganadores, mistificadores e zombeteiros que se aproveitam das pessoas que não buscam uma moral elevada. São Entidades tão carentes de esclarecimentos, quanto as pessoas que procuram um terreiro de Umbanda em busca da resolução dos seus problemas, e que esperam sair dali com um “trabalho”, “despacho” ou “amarração” recomendado por algum Guia.

Alguns indivíduos, até estavam ali querendo compreender melhor a Umbanda, pois sabiam da existência de uma palestra antes da gira. Outros, porque ouviram dizer que quem comandava aquele terreiro era uma mulher e que, além disso, era jovem... Queriam mesmo é futricar¹!

Até que chegou a vez daquele homem ser atendido, justamente pela Pomba Gira que trabalhava com a Dirigente daquele terreiro de Umbanda. Ele tinha uma dúvida sobre a escolha profissional e queria que a Entidade fizesse a escolha para ele. Além disso, não era simplesmente uma dúvida. Trazia muita arrogância em seu interior, o que refletia no chakra do plexo solar². Autoritário, achava que o dinheiro compra tudo, inclusive a caridade!

Quando se aproximou da Entidade que estava incorporada, sentiu um enjôo... A força da gargalhada da moça³, fez com que a médium liberasse ectoplasma, o qual foi projetado sabiamente pela Pomba Gira, para a região do abdômen daquele homem, removendo o líquido escuro e viscoso que estava sendo produzido por ele mesmo. Passou a mão pelo local, sem perceber o trabalho que estava sendo realizado pelos Espíritos no astral. Sentiu apenas uma ardência e logo, um alívio, pois aquilo já estava afetando o funcionamento do seu fígado. A Entidade mostrou a médium que a substância era conseqüência do seu modo de pensar e agir, e que, provavelmente, iria se transformar em uma doença, caso ele não mudasse a sua conduta moral. Interrompendo a limpeza que estava sendo realizada em sua aura, ele foi logo dizendo:

- “Você que entende dessas coisas, faz aí um “trabalho” e me diz qual é o ‘caminho’ que eu tenho que escolher. Diz quanto é que é que eu pago; ou o que é preciso trazer que eu trago”...

- “Iah, há, há, há... Quanto é que é? É o tanto de tempo que você precisa gastar para pensar. O que é preciso trazer? A sua reflexão. Eu até posso ajudar o moço a fazer isso. Mas não da maneira que o moço imagina, pois o que o moço está me pedindo é magia negra e magia negra eu não faço, apenas desfaço de acordo com o merecimento de cada filho de Deus. Digo que qualquer uma das escolhas que o moço fizer terá conseqüências que só você mesmo moço poderá analisar. O que cabe a mim é esclarecer”!

-“Mas eu não vim até aqui, num terreiro de Umbanda, para ouvir isso! Além de você ser uma Pomba Gira, a médium é jovem e eu estou aqui há muito tempo esperando para ser atendido porque a sessão é muito longa”...

- “Longa é a língua de quem perde tempo falando o que não sabe, iah, há, há, há... Como dizia o Preto Velho Pai Jeremias, quanto mais os filhos falam, mais eles se enrolam na própria língua! “Iah, há, há, há... Ganhe tempo fazendo a caridade”!

O homem agradeceu, saindo envergonhado, mas entendeu o recado. Não escutou o que queria, mas escutou o que merecia. Na semana seguinte, lá estava ele, satisfeito pela sua própria escolha, tornando-se um colaborador da obra social daquele terreiro de Umbanda! Laroiê Exu!

se conhecer o autor, escreva para darmos o crédito ou retiranos o texto
amor.feliz.7@gmail.com
Sou uma rosa, sou um perfume, sou a mais bela de qualquer jardim, ouço lamentos, ouço queixumes, não há mulher que não venha até mim. Sei seduzir, me deixo seguir, a palavra dificil para mim não existe, de preto e vermelho, ou sem me vestir, homem algum a mim me resiste. Bebo champanhe, fumo cigarro, digo mil coisas sem nunca falar, sei ler na mão, jogo o baralho, a mim só me engana quem eu deixar. Se alguém precise e me queira encontrar, siga o perfume em noite de luar, diga meu nome sem se enganar, sou Pombagira, a rua é meu lar. Autor: Paulo Lourenço

POMBAGIRA SETE SAIAS DO CABARÉ

POMBAGIRA SETE SAIAS DO CABARÉ
SALVE SETE SAIAS DO CABARÉ!
DONA SETE SAIAS, É MOJUBÁ!